Bordel de bonecos sexuais é declarado legal em Paris

Os governadores de Paris rejeitaram uma moção contra um negócio na capital em que os clientes são cobrados 89€ para passarem uma hora com um boneco sexual de silicone.

Vários grupos feministas e comunistas alertaram o Concelho de Paris - o organismo responsável pelo governo da cidade - para examinarem as possibilidades de fecharem a empresa Xdolls.

O argumento é que é redutor para as mulheres - e constitui, na verdade, um bordel. Ter ou gerir um bordel é considerado ilegal em França.

A polícia visitou o local antes da reunião do concelho e declarou que não haviam leis que estavam a ser quebradas.

Numa declaração conjunta, os membros do concelho Nicolas Bonnet Oulaldj e Hervé Bégué disseram que lamentam a decisão do concelho.

"Este estabelecimento, com bonecos humanóides hiper-realistas, é uma forma de conseguirem trazer de volta os bordéis para a sociedade", disseram.

Descreveram a Xdolls como "o pináculo da desumanização da relação entre o homem e a mulher" e acusaram a empresa de trivializar a exploração de mulheres através de redes de prostituição, e os crimes relacionados de tráfico humano.

A empresa Xdolls está localizada num apartamento anónimo e pouco suspeito na capital francesa, e abriu no início deste ano, descrevendo-se como um "centro de jogos".

Os clientes são sobretudo homens, apesar de alguns casais também, disse o proprietário Joachim Lousquy ao Le Parisien, que antes geria lojas de cigarros eletrónicos.

Tem três quartos, cada um com um boneco feito de silicone de 1m 45cm e que vale milhares de euros.

Os clientes fazem a reserva e o pagamento online, mas o endereço do local permanece secreto. Nem os vizinhos sabem do tipo de negócio.

Joachim diz que os bonecos são brinquedos sexuais e que ele não vê como eles podem ser degradantes para as mulheres.

Twitter representa um desafio para acesso a conteúdos adultos com controlos de idade

[Editado e abreviado]

O Twitter e outras empresas de social media têm-se recusado a aderir aos programas de controlo de idade do governo do Reino Unido, que tem como objetivo limitar o acesso a conteúdos pornográficos online, de acordo com uma das organizações que tem participado nas discussões.

Lord Erroll, um apartidário que lidera a DPA (Digital Policy Alliance), e que tem colaborado com o governo para criar as regras de verificação de idade, admitiu que algumas das sanções previstas para serem aplicadas aos sites que não implementem mecanismos de controlo de idade possam não se aplicar ao Twitter.

Ao contrário do Instagram e do Facebook, o Twitter não tem regras contra postar conteúdos sexualmente explícitos, e agrega várias contas que promovem agências e estrelas pornográficas.

"O desafio é que se bloqueamos o Twitter, as pessoas vão dizer que estamos a reagir exageradamente, que é estúpido, e isso não será bem recebido pelo público", disse Erroll.

A outra opção seria dizer às empresas de cartão de crédito para removerem os serviços de pagamento. No entanto, Erroll admitiu que esta punição seria apenas para sites que não cooperassem com as regras, mais do que sites como o Twitter e Snapchat.

Rudd Apsey, um dos diretores da DPA, também referiu que o Twitter era um "desafio único", mas que seria integrado nas regras de VI (verificação de idade) como "provedor de serviços auxiliar".

"Enquanto indústria, gostaríamos de ver maior verificação nesse espaço", menciona. "Mas nesta fase, ainda não vieram falar connosco sobre isso".

O Twitter diz que tem ferramentas que limitam a visibilidade de conteúdos de baixa qualidade. Material adulto é sempre classificado como "sensível".

 

 

Uma atriz porno já disse que quer fazer um filme com um robô sexual

 [Editado]

O mercado dos robôs sexuais está a gerar algum interesse, e já existem atrizes na indústria pornográfica que manifestam o desejo de estrear a nova tecnologia.

Harriet Sugarcookie é uma das pessoas que manifestou interesse, mas diz que a atual geração de robôs tem de evoluir um pouco mais.

”Para os robôs serem interessantes no ecrã, acho que deveriam conseguir simular as emoções e os sentimentos humanos”. 

A empresa Realbotix, responsável por um dos robôs em produção, diz que muita gente vai comprar o seu robô para “companhia”.

Matt McMullen, diz: “As pessoas chamam-lhes robôs sexuais, mas é sobretudo sobre companheirismo. Neste mundo de computadores, as pessoas estão a perder interação humana”. 

 

Opinião Press X

É interessante a maneira a que as pessoas se propõem para acabar com a solidão das pessoas é exatamente mantê-las sozinhas, na ilusão de companheirismo.

Nada pode substituir a realidade da necessidade da interação humana. Os robôs vão apenas cobrir um problema, sem o resolver. Nunca terão a complexidade, intensidade e emoções humanas porque não o são. 

 

 

Pornografia Infantil aumenta, removidos conteúdos da Internet a cada dois minutos

Uma análise recente à distribuição e apreensão de pornografia infantil descobriu que imagens e vídeos estão a ser removidos da Internet a cada dois minutos.

Os grupos de investigação e vigilância da Internet estão sobrecarregados, à medida que este tipo de conteúdo não pára de crescer.

A IWF (Internet Watch Foundation) descobriu 13,855 materiais de abuso infantil em Setembro do ano passado - mais do dobro de 6,465 que tinham encontrado 12 meses antes.

A organização revelou que os pedófilos estão a usar métodos mais sofisticados para escapar a detecção, como por exemplo, a partilha em locais remotos e mais dificilmente detectáveis da web.

Sarah Smith, da IWF, ecoa alguma frustração por não conseguirem agir mais depressa para remover conteúdos, recordando que por trás de cada foto ou vídeo está uma vítima.